MP-GO e UFG firmam convênio para estudos e avaliações periciais na área do Meio Ambiente

 em Publicações

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) e a Universidade Federal de Goiás (UFG) assinaram na terça-feira (13/12) um convênio de cooperação mútua que visa a execução do projeto de pesquisa na área do meio ambiente denominado Plataforma aérea não tripulada para aquisição de indicadores socioambientais em meio urbano e rural, do Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento (Lapig). O documento foi assinado na sala de reuniões da Procuradoria-Geral de Justiça pelo procurador-geral Lauro Machado Nogueira e pelo reitor da UFG, Orlando Amaral.

Com duração inicial de cinco anos, serão promovidos estudos, avaliações e diagnósticos em meio ambiente e geoprocessamento, sobretudo em atividades periciais no Estado de Goiás, em especial no registro e contabilização de crimes ambientais. O convênio será operacionalizado por meio do Instituto de Estudos Sócio-Ambientais (Iesa), da UFG, e do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente (Caoma) e da Coordenação de Apoio Técnico-Pericial (Catep), do MP-GO.

O reitor Orlando Amaral lembrou que o Lapig é referência no Brasil e no exterior em processamento de imagens, motivo pelo qual foi convidado pelo MP a firmar o convênio de cooperação. Com uso de Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs), o Lapig obterá imagens de alta resolução espacial, unida à flexibilidade necessária para ser transportado a vários locais e com custos significativamente menores do que aviões tripulados e até mesmo ao de imagens de satélites comerciais.

O MP-GO doará um conjunto VANTs e acessórios à UFG/Lapig com recursos oriundos de Termos de Compromisso e Ajustamento de Condutas (TAC) ou decorrentes da aplicação de multas. Serão mantidos dois bolsistas de graduação da UFG/Iesa, inicialmente por um período de dois anos. No total, o repasse do convênio será de R$ 300 mil reais. A iniciativa vai ajudar todas as instituições e fico feliz em poder celebrar este convênio, declarou o procurador-geral de Justiça, Lauro Nogueira.

Para a promotora Marta Moriya Loyola, da 2ª Promotoria de Justiça de Senador Canedo, região onde será executado o primeiro trabalho dentro do convênio, a parceria com a UFG proporcionará efetividade nas ações do MP-GO. Com este recurso sendo destinado à UFG teremos o que apresentar aos municípios para que eles realmente promovam a recuperação dos mananciais. Esse dinheiro renderá frutos e será revertido ao meio ambiente”, afirmou a promotora.

De acordo com o coordenador da pesquisa, Manuel Eduardo Ferreira, o convênio é benéfico para as duas instituições, mas sobretudo para a sociedade, para o meio ambiente e para a comunidade acadêmica, já que os dados coletados poderão ser trabalhados por estudantes em pesquisas específicas. O coordenador da Catep, Rogério César, destacou que o acompanhamento dos pesquisadores da UFG tornará o trabalho da Coordenação mais rápido e com parecer mais fundamentado. Técnicos do Ministério Público explorarão mais e em menos tempo, ressaltou o coordenador do Catep. (Assessoria de Comunicação Social do MP-GO, com informações da Ascom/UFG – Fotos: João Sérgio / Ascom MP-GO)

Fonte: www.mpgo.mp.br

WhatsApp chat